COBERTURA ESPECIAL - Base Industrial Defesa

25 de Março, 2014 - 00:10 ( Brasília )

OPTOVAC - Inaugurada a unidade em São José dos Campos


 

Nota DefesaNet,

Matérias relacionadas:

OPTOVAC - Inaugurada a unidade em São José dos Campos Link

OPTOVAC - Discurso de Valérie Redron Link

OPTOVAC - Discurso de Henrique Nobre Link

O Editor

 

Texto atualizado e fotografias 25 MAR 14

Júlio Ottoboni-
Exclusivo para DefesaNet

 
Foi oficializada no dia 20 de Março, no Parque Tecnológico da Universidade do Vale do Paraíba (Univap), em São José dos Campos, a inauguração da unidade da Optovac, empresa brasileira pertencente ao grupo SAFRAN. Com diversas autoridades do setor militar, empresarial e político, o presidente da Sagem, Bruno Even, destacou a importância de se estabelecer no mercado brasileiro de defesa.

 “O Brasil é um país estratégico para a SAFRAN e um das maiores economias do mundo”, observou o executivo. O grupo SAFRAN opera hoje no Brasil nos setores da Defesa (Optovac), da Segurança (Morpho do Brasil) e da Aeronáutica (Turbomeca do Brasil, Safran Aeronáutica).
 
A intenção da SAFRAN, por meio da OPTOVAC, é estabelecer uma base industrial de defesa em optrônica e navegação inercial em parceria com clientes, universidades e centros de pesquisa para atender os requisitos dos programas do Brasil.

A OPTOVAC tem origem brasileira, surgiu em 1986 em Osasco. Em 2012 foi adquirida pela SAGEM e passou a oferecer portfólio tecnológico da companhia em optrônica, aviônica . A diretora executiva da OPTOVAC, a francesa Valérie Redron, destacou o atual fornecimento de sistemas de controle de voo do EC725 para a Helibras desde setembro de 2013 e o início do processo de nacionalização do binóculo multifuncional JIM LR (longo alcance) que chega para integração, testes e manutenção no Brasil.
 
“Como anunciamos em setembro de 2013, realizamos o segundo passo da implementação da OPTOVAC com a aquisição de capacidade industrial em optrônica. A OPTOVAC realizou este compromisso com uma linha de montagem para integrar, fazer testes e oferecer manutenção ao produtos optrônicos”, destacou a executiva.
 
“Esta transferência iniciou a introdução progressiva no Brasil duma capacidade industrial de fabricação de câmera termal, visores de observação para helicópteros, visores de tiro para veículos blindados, visores para fragatas da Marinha, periscópios para o Scorpene, e mastro de ataque para o submarino nuclear”, revelou Redron.

Um dos pontos altos do evento foi a apresentação da gama de produtos hoje incorporados ao portfólio da OPTOVAC. Em visita as instalações, na sala limpa, nota-se o grau de sofisticação da tecnologia empregada tanto no segmento de sistemas optrônicos como de aviônicos. Os equipamentos de testes são de última geração, todos inteligentes.
 
“A OPTOVAC não é somente produção, também temos capacidade de realizar pesquisa e desenvolvimento. Para ampliar as competências em optrônica e navegação inercial no Brasil, trabalhamos em parceria com Universidades e o programa Ciências sem Fronteiras” afirmou a diretora. Nesta linha de atuação, entre os dias 1º a 04 de abril, o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em conjunto com a Optovac, promoverá o Seminário de Tecnologias de Infravermelho Aplicadas à Defesa.

 Atualmente a companhia conta com  16 funcionários, até o final de 2014, 22. Para o próximo ano alcançará 44 pessoas. O investimento da SAGEM nas linhas de produção da Optovac é de aproximadamente R$ 10 milhões.
 
Saiba mais sobre a Optovac no Brasil:
 
1) A OPTOVAC propõe quatro projetos de parcerias com as Forças Armadas Brasileiras para navegação inercial, modernização do combatente, visores para helicópteros e mastro de ataque para submarino.
1.1) A OPTOVAC propõe uma parceria com o Estado Maior do Exército para o programa Cobra 2020, dentro protocolo França/Brasil. Uma primeira etapa desse trabalho é a realização de ensaios do sistema Felin no Brasil com a assistência técnica da Optovac. A intenção é ser a integradora do sistema de modernização do combatente com introdução das tecnologias que o Brasil necessita.
1.2) A OPTOVAC oferece realização de ensaios do sistema Euroflir sobre os helicópteros da Aviação do Exército com objetivo de demonstrar performance e capacidade de evolução.
1.3) A empresa quer estabelecer parcerias com a Aviação do Exército para desenvolver o visor de observação e de tiro do futuro.
1.4) Também há a proposta de parceria com a Marinha para o desempenho do mastro de ataque do SNBR.
2) A primeira realização da OPTOVAC foi a entrega para Helibras do primeiro sistema de controle de voo montado no Brasil para o helicóptero EC725, em setembro 2013



Outras coberturas especiais


Guerra Hibrida Brasil

Guerra Hibrida Brasil

Última atualização 11 DEZ, 19:00

MAIS LIDAS

Base Industrial Defesa