05 de Abril, 2019 - 17:00 ( Brasília )

Aviação

Caça A-1M da FAB cai em Viamão / RS

Piloto conseguiu ejetar no momento em que a aeronave começou a perder altitude

Um avião da Força Aérea Brasileira caiu em um sítio de Viamão, na Região Metropolitana, na tarde desta sexta-feira (5). Conforme o Corpo de Bombeiros, o piloto conseguiu ejetar no momento em que a aeronave começou a perder altitude.

A queda ocorreu por volta das 16h, em um sítio do Passo do Vigário, próximo ao pedágio da RS-040, e não atingiu nenhum imóvel. Segundo a corporação, o avião pegou fogo. Pelo menos duas viaturas do Corpo de Bombeiros foram deslocadas para o local.

 

Ocorrência com aeronave militar - Nota Oficial da FAB

O Comando da Aeronáutica informa que dois pilotos da Força Aérea Brasileira (FAB) ejetaram-se, na tarde desta sexta-feira (05/04), nas proximidades do município de Viamão (RS), após detectarem uma falha técnica na aeronave de caça A-1 M durante treinamento. A aeronave foi direcionada a uma região desabitada.

Os pilotos passam bem e recebem acompanhamento médico.

Equipes de investigação da FAB estão se deslocando até o local para apurar os fatores contribuintes da ocorrência.

Brasília, 05 de abril de 2019.

Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

Fotos:

 
 

Treinamento de combate além do alcance visual

A Ala 3, em Canoas (RS), sedia mais uma edição do exercício de combate aéreo BVR - do inglês, Beyond Visual Range, ou seja, além do alcance visual. O treinamento, que começou nessa segunda-feira (01/04) e segue até o dia 16, objetiva adestrar pilotos, controladores e equipes de solo para executarem missões de combate, avaliando performance e reação à ameaça com o emprego de mísseis BVR.

Essa tecnologia proporciona aumento do elemento surpresa e maior segurança ao piloto, que consegue operar de uma distância maior, o que dificulta o contra-ataque.

Dentre as aeronaves participantes estão os caças F-5M e A-1M, a aeronave-radar E-99, a aeronave de reconhecimento R-35; o avião KC-130, que realiza reabastecimento em voo para outras aeronaves, e o helicóptero H-36 Caracal para missões de busca e salvamento (SAR – Search and Rescue).

A operação é considerada de nível nacional, pois participam esquadrões de voo de Manaus (AM), Anápolis (GO), Campo Grande (MS), Rio de Janeiro (RJ) e Santa Maria (RS), demandando um grande esforço logístico.