30 de Julho, 2018 - 11:50 ( Brasília )

Armas

Grupos de controles de armas nos EUA tentam impedir publicação de projeto de arma impressa em 3D


Grupos de controle de armas dos Estados Unidos fizeram um último esforço nesta sexta-feira para impedir que o governo de Donald Trump autorize norte-americanos a acessarem pela internet projetos de armas que podem ser produzidas em impressoras 3D. Os grupos pediram para a Justiça do país intervir dias antes que os projetos sejam disponibilizados online.

O Centro Brady de Prevenção de Violência por Armas, a Everytown for Gun Safety e o Giffords Law Center to Prevent Gun Violence pediram para o juiz distrital Robert Pitman para impedir que uma companhia chamada Defense Distributed possa disponibilizar online projetos de armas que podem ser impressas em 3D.

Os grupos afirmam que não impedir a distribuição dos projetos vai “causar prejuízo imediato e irreparável à segurança nacional dos Estados Unidos” e a cidadãos norte-americanos.

Os projetos incluem plantas de rifles AR-15, o tipo de arma usada em muitos ataques a tiros ocorridos nos EUA, bem como uma pistola e outro rifle de assalto. As armas podem ser impressas em material plástico por impressoras 3D e são funcionais após prontas.

Joshua Blackman, um advogado da Defense Distributed, afirmou que os grupos de controle de armas estão tentando judicializar uma disputa política.

A Defense Distributed, fundada pelo autodeclarado anarquista texano Cody Wilson, afirma em um vídeo online que os projetos foram baixados 400 mil vezes antes que o Departamento de Estado dos EUA ordenasse que os arquivos fossem retirados do ar em 2013.

Porém, em junho, um acordo acertado entre a Defense Distributed e o Departamento de Estado, agora sob o governo Trump, permitiu que a companhia publicasse os arquivos que descrevem como as armas podem ser impressas, algo que a empresa afirmou que pretende fazer em 1 de agosto.

Wilson abriu um processo contra o governo dos EUA em 2015, afirmando que o governo estava violando direito à liberdade de expressão e ao direito de portar armas garantido pela Constituição norte-americana.

Desde então o governo vinha vencendo nos tribunais para impedir a publicação. Os grupos de defesa de controle de armas afirmam que não houve explicação sobre a brusca mudança de posição do Departamento de Estado que culminou no acordo de junho com a Defense Distributed.