COBERTURA ESPECIAL - America Latina - Naval

14 de Junho, 2019 - 11:55 ( Brasília )

Marinha participa da organização do Exercício de Assistência e Proteção para Estados Partes da América Latina e do Caribe


Atendendo ao calendário de capacitação da Organização de Proibição de Armas Químicas (OPAQ), o Centro de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica da Marinha do Brasil (CDefNBQR-MB) coordenou a participação da Força no Exercício de Assistência e Proteção para Estados Partes da América Latina e do Caribe (ExBRALC IV 2019), realizado no período de 3 a 7 de junho.

A cerimônia de abertura contou com a presença de diversas autoridades, como a Oficial Sênior de Gestão de Programas da OPAQ, Ditta Ciganikova; o Diretor do Departamento de Assuntos Internacionais e Cooperação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Bernardo Sylvio Milano Netto; e o Subchefe de Operações da Chefia de Operações Conjuntas do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Vice-Almirante Ralph Dias da Silveira Costa.

Realizado nas instalações do CDefNBQR-MB e do 1o Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear, do Exército Brasileiro, o curso contou com as distintas participações de alunos da Argentina, Belize, Bolívia, Chile, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Peru, República Dominicana, Uruguai, Reino Unido e Espanha, além de alunos brasileiros das três Forças Armadas, da Agência Brasileira de Inteligência, da Polícia Federal e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro.

As instruções do ExBRALC IV 2019, no idioma espanhol, foram conduzidas com a participação das seguintes organizações militares brasileiras: CDefNBQR-MB, Batalhão de Engenharia de Fuzileiros Navais e 1o Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear, do Exército Brasileiro.

As atividades a cargo da Marinha do Brasil (MB) consistiram em aulas teóricas, mostruários, demonstrações e um Exercício Integrativo. Esse último baseou-se em um tema tático fictício – tomando por base o episódio ocorrido em 2015, quando a MB empregou a sua capacidade de resposta – que simulou uma suposta contaminação em terminal portuário, sendo necessária a coleta de amostras com suspeita de contaminação por agentes NBQR, a sua entrega ao Laboratório Móvel e deste ao Laboratório Fixo de Análises Químicas, ambos do CDefNBQR-MB, mantendo-se a cadeia de custódia e, por fim, a descontaminação técnica de pessoal.

A coordenação do ExBRALC IV 2019 demonstra a evolução do Sistema de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica da Marinha do Brasil (SisDefNBQR-MB), ratificando sua capacidade em suportar, com eficiência, a realização de um evento internacional da OPAQ, consolidando o patamar de excelência aos olhos da comunidade internacional, a qual já reconhece o Brasil como líder regional na temática da DefNBQR.


Encerramento do ExBRALC na Fortaleza de São José