COBERTURA ESPECIAL - America Latina - Geopolítica

11 de Janeiro, 2016 - 14:45 ( Brasília )

Exército venezuelano jura "apoio incondicional" a Maduro

Em meio a crise política no país, forças armadas juram lealdade ao presidente e criticam decisão da oposição de retirar retratos de Bolívar e Chávez da Assembleia Nacional.

As forças armadas da Venezuela reiteraram, nesta quinta-feira (07/01), "lealdade absoluta" e "apoio incondicional" ao presidente Nicolás Maduro. O país vive uma crise política entre o governo e a recém-eleita oposição, que detém a maioria parlamentar.

"O presidente é a mais alta autoridade do Estado e nós reafirmamos a nossa lealdade absoluta e o nosso apoio incondicional", declarou o general Vladimir Padrino López, reconduzido ao cargo de ministro da Defesa nesta quarta-feira.

López ainda criticou a decisão da oposição de retirar da Assembleia Nacional (Parlamento) os retratos e símbolos ligados a Simón Bolívar, herói da independência no século 19, e a Hugo Chávez, presidente da Venezuela entre 1999 e 2013.

"Exigimos o fim imediato de atos de tal natureza, que em nada contribuem para a harmonia, a compreensão e a paz de nossos compatriotas", disse o ministro. "Apesar das diferenças políticas, inevitavelmente compartilhamos o amor pela pátria, pela independência e pela soberania nacional, assim como o respeito pela Constituição e pelas leis da República."

Em comunicado, López afirmou ainda que a decisão é uma "atitude grosseira, arrogante e prepotente contra a memória eterna de nosso libertador Simón Bolívar, que é o pai da nação". "É também um insulto à memória de um filho ilustre de Bolívar, o comandante supremo Hugo Chávez, às forças armadas e à honra militar", concluiu.

A oposição antichavista – aliança Mesa de Unidade Democrática (MUD) – conquistou uma maioria de dois terços nas eleições legislativas de 6 de dezembro do ano passado. Isso lhe confere largos poderes, como convocar um referendo ou estabelecer uma assembleia constituinte.

Essa maioria representa uma virada histórica contra o regime chavista, atualmente protagonizado pelo presidente Maduro. Trata-se da primeira vez desde 1999, ano em que Chávez subiu ao poder, que a oposição detém maioria legislativa.

Opositores neutralizados pelo governo venezuelano¹

Controle sobre adversários

Pesquisas sugerem que apenas 25% da população da Venezuela aprova o desempenho do presidente, Nicolás Maduro. Temendo derrotas em eleições legislativas, o governo do Partido Socialista Unido da Venezuela usa o poder para afastar candidatos da oposição com boas chances de vitória. Opositores têm candidatura vetada ou são proibidos de ocupar cargos públicos.

Candidatura anulada

Em 21 de setembro, o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) anulou a candidatura parlamentar de Carlos Vecchio, líder do partido Vontade Popular. Apesar de estar exilado, Vecchio liderava a lista dos candidatos da oposição no estado de Monagas, onde competia diretamente com Diosdado Cabello, segundo na hierarquia do PSUV e atual presidente da Assembleia Nacional.

Afastamento público

A Mesa da Unidade Democrática (MUD), a aliança de partidos de oposição venezuelanos, comunicou em 18 de julho que Pablo Pérez foi proibido de ocupar cargos públicos por dez anos. Sua participação nas eleições legislativas em nome da MUD estava assim sendo revogada. Perez foi governador do estado de Zulia, de 2008 a 2012, e líder do partido oposicionista Um Novo Tempo.

Mais uma proibição

Em 15 de junho, Enzo Scarano, ex-prefeito do município de San Diego, no estado de Carabobo, recebeu a notificação da Controladoria-Geral informando-o que ele foi proibido de ocupar cargos públicos nos próximos 12 meses. Scarano havia sido eleito em maio, nas primárias da oposição, como candidato à Assembleia Nacional no colégio eleitoral 3 de Carabobo.

Proibida de concorrer

María Corina Machado foi incluída em maio na lista de candidatos da MUD para as eleições parlamentares de dezembro. Poucos dias antes de neutralizar Enzo Scarano, o controlador-geral, Manuel Galindo, desabilitou Machado politicamente por um ano. Machado foi a deputada que obteve mais votos na Venezuela nas eleições legislativas de 2010.

Mais um afastamento

A MUD lançou Daniel Ceballos como candidato para as eleições parlamentares pelo colégio eleitoral 5 do estado de Táchira. Mas, no início de julho, o político foi proibido de ocupar cargos públicos por um ano. Ceballos foi prefeito do município de San Cristóbal, até que o Supremo Tribunal destituiu-o em 2014, em meio aos protestos antigovernamentais daquele ano.

Sete anos de proibição

No início de maio, apenas alguns dias antes de a MUD celebrar as primárias, o ex-governador de Táchira César Pérez Vivas foi proibido de ocupar cargos públicos por um período de sete anos. "Eu não sou o primeiro nem serei o último a sofrer este tipo de arbitrariedade e injustiça", disse Perez Vivas, na época.

Politicamente desqualificado

O fundador do partido Um Novo Tempo, Manuel Rosales, foi prefeito de Maracaibo, governador do estado de Zulia e candidato presidencial – o principal opositor de Hugo Chávez em 2006 – antes de procurar asilo político no Peru. Em maio de 2015, ele foi nomeado pela MUD para as eleições legislativas. Um mês depois, Rosales foi politicamente desqualificado por sete anos e meio.

¹Autoria: Evan Romero-Castillo (pv)

Abaixo na íntegra o comunicado Gen Padrino Lópes em nome das Força Armada Nacional Bolivariana (FANB), em português e espanhol:
 

Comunicado da Força Armada Nacional Bolivariana em desagravo ao ultraje da memória do libertador Simón Bolivar, à memória do comandante supremo Hugo Chávez, ao presidente constitucional da República como personificação do Estado e Comandante da Força Armada Nacional Bolivariana e à honra militar
 
A Força Armada Nacional Bolivariana, em inquebrantável unidade, e consciente do momento histórico que vive nosso país, expressa a todo o povo venezuelano sua profunda indignação pela forma desrespeitosa, carregada de desprezo e soberba, onde se ordenou a retirada das imagens de nosso libertador Simón Bolivar, do comandante supremo da revolução bolivariana Hugo Chávez e do cidadão Nicolás Maduro Moros, Presidente Constitucional da República Bolivariana da Venezuela, das instalações do Palácio Federal Legislativo, onde ocorreu a recém instalada Assembleia Nacional.
 
Simón Bolívar é o pai da pátria, homem de altíssima honra, um símbolo sagrado para todos nós e de especialíssimo valor para a América Latina. Sua gigantesca obra emancipatória deu a independência a cinco nações e permitiu a fundação de outra, epopéia heróica reconhecida no mundo inteiro que permanece incólume na consciência coletiva de todos os seres humanos amantes da liberdade, por tal razão, as representações materiais que dele foram feitas, de qualquer natureza e origem, serão sempre objeto de admiração e respeito de quem orgulhosamente somos herdeiros de suas glórias. A nova imagem de seu rosto sendo usada oficialmente nas dependências públicas, é o produto de uma investigação científica com com participação de atores nacionais e internacionais, cujo objetivo não foi outro além de exaltar sua memória


A história de Bolívar é a história da Venezuela, e a história da Venezuela é a história da América!
 
Nossa Carta Magna, que nasceu de um processo constituinte sem precedentes, invoca o exemplo histórico do libertador e por tal motivo, neste mesmo processo, a República adquiriu ser caráter bolivariano; continua sendo hoje a República Bolivariana da Venezuela, a transformação política, social e econômica que ocorre na Venezuela surge destas raízes, desta mesma doutrina instituída pelo próprio libertador; é indefectivelmente a Revolução Bolivariana. Como consequência, os soldados e soldadas da Pátria estamos orgulhosos de ser, de sentirmo-nos e de nos chamarmos bolivarianos, e agora sermos a Força Armada Nacional Bolivariana.
 
De outro lado, o Comandante Supremo Hugo Rafael Chávez Frías é um filho desta nação, forjado no calor de nossas academias militares.
 
Em sua Carreira militar, desde onde, sempre embasado no ideário e ação de Bolívar, empreendeu a colossal transformação dos destinos do País, para resgatar um povo oprimido pela oligarquia que promovia o sistema de capitalista de exploração, para colocar sua visão de um mundo multipolar, da necessária integração latinoamericana, socialista, anti-imperialista e profundamente humanista, transcendeu nossas fronteiras para levar benefícios aos mais despossuídos e vulneráveis em distintas latitudes, colocando os pobres em um altar, suas conquistas do ponto de vista social são inumeráveis: milhões de compatriotas foram beneficiados, orientados sempre a garantir a maior soma de felicidade possível. Tal como fez Bolívar, dedicou e ofereceu sua vida a serviço de sua nação, à sua defesa e desenvolvimento, despertando a consciência nacionalista de todos os venezuelanos e venezuelanas que habitam esta terra graciosa.
 
Da mesma maneira, o presidente constitucional da República Bolivariana da Venezuela, Comandante da Força Armada Nacional Bolivariana, Nicolás Maduro Moros é a máxima autoridade do Estado, eleito pelo voto popular, enfrentou complexos obstáculos, adversidades de todo tipo e seguindo os passos de Bolívar, hoje defende o interesse nacional, pelo qual reiteramos nossa absoluta lealdade e irrestrito apoio.
 
Agredir a memória eterna daqueles que já não estão mais fisicamente entre nós é um ato decadente e nojento que acaba com o princípio da honra militar, que se materializa diante da tomada de consciência no contexto de uma sociedade que se rege por princípios cidadãos. Ultrajaram a honra militar! Por tudo isso, a Força Armada Nacional Bolivariana, cujos integrantes somos de irredutível vocação bolivariana e consequentemente chavista, rechaçamos categoricamente qualquer ato no qual se desrespeite e se manche a memória de homens tão destacados, defensores da justiça e da igualdade, pois ao fazê-lo se ofende também a dignidade e as mais puras tradições venezuelanas e de toda América. Exigimos que acabem imediatamente com atos desta natureza, que em nada contribuem com a harmonia, e entendimento e a paz entre nossos conterrâneos.


“Chávez vive, a Pátria segue”
“Independência e Pátria Socialista…”
“Viveremos e venceremos”

Vladimir Padrino Lópes
General
Ministro do Poder Popular para a defesa e comandante estratégico operacional
 

Ministerio Defensa

 

CARACAS, 07 DE ENERO DEL 2016


COMUNICADO DE LA FUERZA ARMADA NACIONAL BOLIVARIANA EN DESAGRAVIO POR EL ULTRAJE A LA MEMORIA DEL LIBERTADOR SIMÓN BOLÍVAR, A LA MEMORIA DEL COMANDANTE SUPREMO HUGO CHAVEZ, AL PRESIDENTE CONSTITUCIONAL DE LA REPÚBLICA COMO PERSONIFICACIÓN DEL ESTADO Y COMANDANTE EN JEFE DE LA FUERZA ARMADA NACIONAL BOLIVARIANA Y AL HONOR MILITAR

LA FUERZA ARMADA NACIONAL BOLIVARIANA, EN INQUEBRANTABLE UNIDAD, Y CONSCIENTE DEL MOMENTO HISTÓRICO QUE VIVE NUESTRO PAÍS, EXPRESA A TODO EL PUEBLO VENEZOLANO SU PROFUNDA INDIGNACIÓN POR LA FORMA IRRESPETUOSA, CARGADA DE SOBERBIA Y DESPRECIO, EN QUE SE HA ORDENADO RETIRAR LAS IMÁGENES DE NUESTRO LIBERTADOR SIMÓN BOLÍVAR, DEL COMANDANTE SUPREMO DE LA REVOLUCIÓN BOLIVARIANA HUGO CHÁVEZ Y DEL CIUDADANO NICOLÁS MADURO MOROS, PRESIDENTE CONSTITUCIONAL DE LA REPÚBLICA BOLIVARIANA DE VENEZUELA, DE LAS INSTALACIONES DEL PALACIO FEDERAL LEGISLATIVO, DONDE SESIONA LA RECIÉN INSTALADA ASAMBLEA NACIONAL.

SIMÓN BOLÍVAR ES EL PADRE DE LA PATRIA, HOMBRE DE ALTÍSIMO HONOR, UN SÍMBOLO SAGRADO PARA TODOS NOSOTROS Y DE ESPECIALÍSIMO VALOR PARA LATINOAMÉRICA. SU GIGANTESCA OBRA EMANCIPADORA, LE DIÓ LA INDEPENDENCIA A CINCO NACIONES Y PERMITIÓ LA FUNDACIÓN DE OTRA, EPOPEYA HEROICA RECONOCIDA EN EL MUNDO ENTERO QUE PERMANECE INCÓLUME EN LA CONCIENCIA COLECTIVA DE TODOS LOS SERES HUMANOS AMANTES DE LA LIBERTAD.

POR TAL RAZÓN, LAS REPRESENTACIONES MATERIALES QUE DE ÉL SE HAN HECHO, SEA CUAL SEA SU NATURALEZA U ORIGEN, HAN SIDO Y SERÁN SIEMPRE OBJETO DE ADMIRACIÓN Y RESPETO POR PARTE DE QUIENES ORGULLOSAMENTE SOMOS HEREDEROS DE SUS GLORIAS. EN TAL SENTIDO, LA NUEVA IMÁGEN DE SU ROSTRO, USADA OFICIALMENTE EN LAS DEPENDENCIAS PÚBLICAS Y CON PLENA ACEPTACION NACIONAL, ES EL PRODUCTO DE UNA INVESTIGACIÓN CIENTÍFICA CON PARTICIPACIÓN DE ACTORES NACIONALES E INTERNACIONALES, CUYO NOBLE PROPÓSITO NO FUE OTRO QUE EXALTAR SU MEMORIA.

¡LA HISTORIA DE BOLÍVAR ES LA HISTORIA DE VENEZUELA, Y LA HISTORIA DE VENEZUELA ES LA HISTORIA DE AMÉRICA!

NUESTRA CARTA MAGNA, QUE NACIÓ DE UN PROCESO CONSTITUYENTE SIN PRECEDENTES, INVOCA EL EJEMPLO HISTÓRICO DEL LIBERTADOR Y POR TAL MOTIVO, EN ÉSTE MISMO PROCESO, LA REPÚBLICA ADQUIRIÓ SU CARÁCTER BOLIVARIANO; ES HOY, LA REPÚBLICA BOLIVARIANA DE VENEZUELA.

DE IGUAL FORMA, LA TRANSFORMACIÓN POLÍTICA, SOCIAL Y ECONÓMICA QUE SE DESARROLLA HOY EN VENEZUELA, SURGE DE LAS MÁS PRÍSTINAS RAÍCES DE ESTA DOCTRINA INSTITUIDA POR EL PROPIO LIBERTADOR; SE TRATA INDEFECTIBLEMENTE DE LA REVOLUCIÓN BOLIVARIANA. EN CONSECUENCIA, LOS SOLDADOS Y SOLDADAS DE LA PATRIA ESTAMOS ORGULLOSOS DE SER, SENTIRNOS Y LLAMARNOS BOLIVARIANOS; ES AHORA LA FUERZA ARMADA NACIONAL BOLIVARIANA.


POR OTRA PARTE, EL COMANDANTE SUPREMO HUGO RAFAEL CHÁVEZ FRÍAS, ES UN HIJO INSIGNE DE ESTA NACIÓN, FORJADO AL CALOR DE NUESTRAS ACADEMIAS MILITARES Y LAS LUCES DE LA GLORIOSA CARRERA DE LAS ARMAS, DESDE DONDE, BASADO PRECISAMENTE EN EL IDEARIO Y ACCIÓN DE BOLÍVAR, EMPRENDIÓ LA COLOSAL EMPRESA DE TRANSFORMAR LOS DESTINOS DEL PAÍS, PARA RESCATAR A UN PUEBLO OPRIMIDO POR UNA OLIGARQUÍA QUE PROMOVÍA Y AUSPICIABA EL SISTEMA DE EXPLOTACIÓN CAPITALISTA. SU VISIÓN DE UN MUNDO PLURIPOLAR, DE LA NECESARIA INTEGRACIÓN LATINOAMERICANA, SOCIALISTA, ANTIIMPERIALISTA Y PROFUNDAMENTE HUMANISTA, HA TRASCENDIDO NUESTRAS FRONTERAS PARA LLEVAR BENEFICIOS A LOS MÁS DESPOSEÍDOS Y VULNERABLES EN DISTINTAS LATITUDES, COLOCANDO A LOS POBRES EN UN ALTAR. SUS LOGROS DESDE EL PUNTO DE VISTA SOCIAL SON INNUMERABLES; MILLONES DE COMPATRIOTAS HAN SIDO BENEFICIADOS A TRAVÉS DE LAS DIFERENTES MISIONES, ORIENTADAS SIEMPRE A GARANTIZAR LA MAYOR SUMA DE FELICIDAD POSIBLE.

TAL COMO LO HIZO BOLÍVAR, CHAVEZ DEDICÓ Y OFRENDÓ SU VIDA AL SERVICIO DE SU NACIÓN, A SU DEFENSA Y DESARROLLO, DESPERTANDO LA CONCIENCIA NACIONAL Y PATRIÓTICA DE TODOS LOS VENEZOLANOS Y VENEZOLANAS QUE HABITAN ESTA TIERRA DE GRACIA.

BOLÍVAR Y CHAVEZ PERSONIFICAN LA PATRIA, ELLOS SE HAN ARRAIGADO EN LO MAS PROFUNDO DEL INCONSCIENTE DEL ALMA NACIONAL. LASTIMAR SU MEMORIA O INTENTAR SACARLA DE ALLÍ, EQUIVALDRÍA A CONMOVER AL PAÍS EN LO MAS HONDO DE SUS CIMIENTOS, PARA LO CUAL TENDRÍAN QUE SACRIFICAR HASTA EL ÚLTIMO SOLDADO.

DE IGUAL MODO, EL PRESIDENTE CONSTITUCIONAL DE LA REPÚBLICA BOLIVARIANA DE VENEZUELA, COMANDANTE EN JEFE DE LA FUERZA ARMADA NACIONAL BOLIVARIANA, NICOLÁS MADURO MOROS ES LA MÁXIMA AUTORIDAD DEL ESTADO, ELEGIDO POR EL VOTO POPULAR, QUIEN ENFRENTANDO COMPLEJOS OBSTÁCULOS, ADVERSIDADES DE TODO TIPO Y SIGUIENDO LAS IMBORRABLES HUELLAS DE BOLÍVAR, HOY LIDERA ACERTADAMENTE LA CONSECUCIÓN DE LOS MÁS ELEVADOS INTERESES DEL PAÍS, POR LO QUE LE REITERAMOS NUESTRA ABSOLUTA LEALTAD E IRRESTRICTO APOYO.

LOS GRANDES HOMBRES TRASCIENDEN EL PLANO DE LO MATERIAL, PUES SUS ACCIONES Y SUS OBRAS ESTÁN SIGNADAS POR EL MÁS PURO AMOR HACIA SUS CONCIUDADANOS. POR ELLO SU RECUERDO SE FUNDE EN EL CORAZÓN Y LA SABIDURÍA DE LAS SOCIEDADES QUE ESPONTÁNEAMENTE MANTENDRÁN VIVO SU LEGADO INMORTAL. “LOS QUE MUEREN POR LA VIDA, NO PUEDEN LLAMARSE MUERTOS”. POR TAL RAZÓN, AGREDIR LA MEMORIA ETERNA DE AQUELLOS QUE YA NO ESTÁN FÍSICAMENTE ENTRE NOSOTROS, ES UN ACTO DECADENTE Y OMINOSO QUE QUEBRANTA LOS PRINCIPIOS DEL HONOR MILITAR, EL CUAL SE MATERIALIZA MEDIANTE LA TOMA DE CONCIENCIA SUPRARACIONAL EN EL CONTEXTO DE UNA SOCIEDAD QUE SE RIGE POR PRINCIPIOS Y VALORES CIUDADANOS. ¡SE HA ULTRAJADO EL HONOR MILITAR! “

POR LO ANTERIORMENTE EXPUESTO, LA FUERZA ARMADA NACIONAL BOLIVARIANA, CUYOS INTEGRANTES SOMOS DE IRREDUCTIBLE VOCACIÓN BOLIVARIANA Y CONSECUENTEMENTE CHAVISTA, RECHAZA CATEGÓRICAMENTE CUALQUIER ACTO EN EL CUAL SE IRRESPETE, SE VILIPENDIE Y SE MANCILLE LA MEMORIA DE TAN INSIGNES PROHOMBRES, DEFENSORES DE LA JUSTICIA Y LA IGUALDAD, PUES AL HACERLO SE OFENDE TAMBIÉN LA DIGNIDAD Y LAS MÁS PURAS TRADICIONES VENEZOLANAS Y DE LA AMÉRICA TODA. EXIGIMOS EL CESE INMEDIATO DE ACTOS DE ESTA NATURALEZA, QUE EN NADA CONTRIBUYEN A LA CONCORDIA, LA ARMONÍA, EL ENTENDIMIENTO Y LA PAZ DE NUESTROS COTERRÁNEOS, QUIENES A PESAR DE LAS DIFERENCIAS POLÍTICAS, COINCIDEN INEXORABLEMENTE EN SU AMOR POR LA PATRIA, LA INDEPENDENCIA Y SOBERANÍA NACIONAL, ASÍ COMO EL RESPETO A LA CONSTITUCIÓN Y LAS LEYES DE LA REPÚBLICA.

 

“CHÁVEZ VIVE… LA PATRIA SIGUE”

“INDEPENDENCIA Y PATRIA SOCIALISTA…

VIVIREMOS Y VENCEREMOS”

 

VLADIMIR PADRINO LÓPEZ

GENERAL EN JEFE

MINISTRO DEL PODER POPULAR PARA LA DEFENSA

Y COMANDANTE ESTRATÉGICO OPERACIONAL