COBERTURA ESPECIAL - Mão Amiga - Aviação

12 de Julho, 2017 - 11:00 ( Brasília )

Esquadrão Puma é acionado para missão de evacuação aeromédica

4º ETA realiza três missões de transporte de órgãos em menos de 36 horas

Tenente Felipe Bueno


O Esquadrão Puma (3º/8º GAV) foi acionado para a execução de uma Evacuação Aeromédica (EVAM). O Esquadrão sediado na Ala 12, em Santa Cruz (RJ), foi o ponto de partida da tripulação do helicóptero H-36 Caracal, que seguiu para o Hospital de Força Aérea do Galeão (HFAG), onde a aeronave foi configurada com equipamentos de apoio à vida.

Sob a coordenação do Major Ney Franklin Junior, a tripulação se deslocou para Santo Antônio de Pádua, localizado a 178 km do Galeão (RJ), onde efetuou o embarque do paciente e o transportou com segurança até o hospital. A missão durou cerca de 2h40 e o paciente, com o quadro de traumatismo cranioencefálico, encontra-se estável e sob os cuidados da equipe médica do HFAG.

Formação

O Instituto de Medicina Aeroespacial Brigadeiro Médico Roberto Teixeira (IMAE) realizou o Módulo de Evacuação Aeromédica (EVAM) para os alunos do Curso de Extensão em Medicina Aeroespacial (CEMAE). De 26 a 30 de junho, a instrução foi ministrada pelos oficiais e graduados do IMAE, além de uma capitão médica do Esquadrão Puma. Foram abordadas teorias sobre doutrina EVAM, segurança operacional, acionamento e legislação, além de oficinas práticas de cálculo de oxigênio, planos de embarque de pacientes e fixação de macas no salão da aeronave C-130.

De acordo com a coordenadora do curso, Tenente Aline Zandomeneghe Pereira Franco, chefe da Seção Aeromédica do Instituto, o módulo tem o objetivo de proporcionar aos alunos experiências de aprendizagem que os habilitem a realizar missões de Evacuação Aeromédica, observando os princípios de segurança de voo e as possíveis alterações fisiológicas a que os pacientes estão expostos no ambiente aeroespacial.

“Por meio de excelentes instruções, exercícios e aulas práticas, nos proporcionaram um aprendizado sólido, capacitando-nos para cumprir missões de EVAM com segurança e eficiência”, disse o Tenente Rafael Martinelli, aluno do CEMAE.

4º ETA realiza três missões de transporte de órgãos em menos de 36 horas¹

O Quarto Esquadrão de Transporte Aéreo (4º ETA), localizado na Ala 13 em Guarulhos (SP), conhecido como Esquadrão Carajá, participou de três missões distintas de Transporte de Órgãos Vitais (TROV), em três dias seguidos.

No dia 5 de julho, após acionado para apoiar a Central Nacional de Transplantes, o esquadrão decolou em menos de uma hora e meia com destino a Sorocaba (SP), onde a equipe médica embarcou, e seguiu para Barretos (SP), local em que o órgão foi coletado.

“O procedimento de extração levou cerca de três horas. A madrugada estava fria e a espera nos deixou ansiosos. No momento apenas torci para que Deus estivesse junto com a equipe médica e tudo desse certo”, relatou o Comandante da aeronave, Capitão Aviador Bruno Pereira Orsi.

Após a extração, o fígado coletado foi levado para Sorocaba (SP) e a aeronave retornou para Guarulhos (SP). Antes do término dos procedimentos de solo após o pouso, o esquadrão foi acionado novamente para outra missão TROV.

Mesmo com dois acionamentos em menos de 10 horas, o 4º ETA estava preparado para cumprir outra missão. Desta vez, o objetivo era coletar um fígado no Hospital de Base de São José do Rio Preto (SP) e transportá-lo para a Santa Casa de São José dos Campos (SP).

“Ao ser acionado por volta das cinco e vinte da manhã, fui informado que a tripulação de sobreaviso havia pousado há poucos minutos e já tínhamos outro chamado para o esquadrão. Sabendo disso, não hesitei! Rapidamente vesti o uniforme para cumprir a missão. Foi muito gratificante saber que meu trabalho contribuiu para salvar uma vida, fiquei muito feliz”, declarou o Major Aviador Rodrigo Santos de Faria, Comandante da aeronave envolvida.

Após o cumprimento das duas missões, o Esquadrão foi chamado novamente. Nesse caso, foi transportado um fígado de Ourinhos (SP) para São José do Rio Preto (SP). "Graças à competência e responsabilidade da tripulação do esquadrão, mais uma vez a missão foi cumprida com sucesso. É uma grande satisfação realizar missões tão nobres, nas quais vidas podem ser salvas", ressaltou o Tenente Aviador Alexandre de Oliveira Maio dos Santos, Comandante da aeronave.

Nas três missões, realizadas nos dias 05, 06 e 07 com sucesso, foram empregadas 09h05min de voo da aeronave C-97 Brasília. Somente em 2017, já são 125 horas de voo destinadas a Missões de Transporte de Órgãos Vitais com 36 órgãos transportados nas asas do 4º Esquadrão de Transporte Aéreo.

¹por Ten Lucas Rocha (4º ETA),
por Tenente Elias (Agência Força Aérea)

 


VEJA MAIS