COBERTURA ESPECIAL - 11/Setembro

21 de Julho, 2018 - 16:00 ( Brasília )

Fabio Pereira - CARTA A UM JOVEM “PUNITIVISTA”


 

Fabio Costa Pereira
Procurador de Justiça MP/RS



Caro amigo,
 
falo de um passado não muito distante, de um universo aparentemente livre, onde ideias podiam ser livremente expressadas.

Pelo menos é o que eu e outros incautos, flertando com a absurda inocência, achávamos.

Descobri, a duras penas, que isso estava longe de ser uma realidade e que o espectro da livre expressão limitava-se a concordar com o que a intelectualidade reinante, secundada por leais servos e guardiões, permitia-nos assumir como verdade.

Todo aquele que ousasse a divergir das verdades impostas, de forma métrica, ideológica e politicamente construídas, imediatamente eram rotulados, atacados em sua honra e capacidade de discernir, mantendo-se, assim, longe de qualquer debate os consensos impostos pela ratio dominante.

O outro que ousasse pensar diferente era visto como o inimigo a ser batido, não importando o meio utilizado para atingir tal objetivo e, muito menos, debater e refutar a ideia e argumentos por ele vertidos.

As Ideias libertadoras da escravidão intelectual imposta eram tratadas como verdadeiras doenças a erradicar, pois elas tinham o poder, por sua logicidade, de romper os grilhões da escravidão imposta pelo politicamente correto.

Não foi diferente comigo e nem com muitos outros como eu. Acordar do pesadelo onde pseudo-verdades consensuais perseguiam-me por todos os lados e as questionar publicamente, lançou-me em outro pesadelo, o de, de uma hora para outra, deixar de ser inteligente e cool e passar a ser um celerado “punitivista “, “coxinha”, “fascista” e outros apelidos que sequer valem a pena comentar.

Eis que os anos se passaram e muitos mais acordaram para a realidade, pois o onírico universo construído através do politicamente correto e a vida como ela é não guardam qualquer correlação de sincronia.

A espiral do silêncio foi rompida e o politicamente correto não mais viaja em céus de brigadeiro.

Verdadeiros tsunamis de logicidade e evidências empíricas vieram para varrer os vetustos consensos.

Portanto meu jovem punitivista, quando assim te chamarem , toma a ofensa como um elogio, pois, com certeza, aquele que te ofende sabe que não és um zumbi cujo cérebro foi inoculado pelo vírus mortal que aniquila a liberdade, chamado de politicamente correto.

Sucesso em tua longa vida!

Fábio Costa Pereira


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


PROSUB S40

PROSUB S40

Última atualização 14 DEZ, 12:45

MAIS LIDAS

11/Setembro